+55 (21) 3183-7395 / WhatsApp +55 (21) 99926-0236 / +55 (11) 99982-9998

Sequelas do Cânce de Próstata

Após o tratamento curativo para o câncer de próstata podemos ter complicações precoces e/ou tardias. Muitas vezes o tratamento necessita de procedimentos avançados em reconstrução urológica
Um estudo acompanhou por 5 anos 32.465 pacientes tratados para o câncer de próstata. (15.870 foram operados e 16.595 submetivos à radioterapia).  Durante o período de acompanhamento 32% foram submetidos à algum procedimento urológico e 22,2% internaram de urgência. O motivo mais comuns para a internação foi a obstrução urinária, correspondendo à 36,7% dos pacientes internados[1].
No mesmo estudo foi visto que a contratura do colo vesical (fechamento do canal de saída da bexiga) era de 7,5%. Este fechamento ocorre no local em que é feita a união do orifício de saída da bexiga com a uretra (canal que leva a urina até a ponta do pênis), após a retirada da próstata, que fica entre um e outro (veja as Figuras)
Em outro estudo com acompanhamento mais longo (7 anos) 26,9% dos pacientes operados apresentaram alguma complicação relacionada à cirurgia (sequela do câncer de próstata)[2].
Uma análise com 3.317 pacientes operados com o robô Da Vinci, para tratar câncer de próstata, 9,8% dos pacientes tiveram alguma complicação após 2 anos[3]. Em outras análises com o robô, a complicação variou de 3-36%[4]
Uma complicação comum dos tratamentos para o câncer de próstata é a disfunção sexual erétil (inabilidade para ter uma ereção suficiente para uma relação sexual). Setenta e cinco por cento (75%) dos pacientes operados e 65% dos pacientes irradiados vão apresentar esta complicação em até 5 anos.
A incontinência urinária (perda de urina de forma involuntária) acomete 15% dos pacientes submetidos à cirurgia e 4% dos pacientes que fizeram radioterapia[5].

Tratamento das complicações

O Dr. Alexandre Miranda tem se dedicado ao tratamento das sequelas das terapias curativas do câncer de próstata, realizando cirurgias avançadas e incorporando novas tecnologias. Cada paciente é estudado de forma individualizada e seu tratamento personalizado
1- Estenose de colo vesical (fechamento do canal de saída da bexiga)
Geralmente é tratado com dilatação ou corte (endoscópico) do canal estreitado. Nos casos em que estas opções não foram bem sucedidas é necessário uma cirurgia reconstrutora, para refazer a anastomose (união entre a saída da bexiga e o canal que leva a urina para fora). A cirurgia é chamada uretroplastia. Alternativamente podemos utilizar o LASER para tentar uma nova abertura, porém o tratamento deve ser individualizado e discutido com seu cirurgião. Se você sofre com este problema agende agora uma consulta com o Dr. Alexandre Miranda.
2- Incontinência urinária
O tratamento pode ser realizado com uma “fita”especial ou um esfíncter artificial, para evitar perda de urina . Cada caso deve ser analisado de forma individual e discutido com o paciente. Se você sofre com este problema agende agora uma consulta com o Dr. Alexandre Miranda.
3- Disfunção sexual erétil
Existem formas não cirúrgicas para resolver este problema ou, em último caso, a inserção de próteses penianas.
Saiba agora como está a sua ereção. Clique AQUI
Se você sofre com algum destes problemas agende agora uma consulta com o Dr. Alexandre Miranda.

 

1.         Nam, R. K., Cheung, P., Herschorn, S. et al.: Incidence of complications other than urinary incontinence or erectile dysfunction after radical prostatectomy or radiotherapy for prostate cancer: a population-based cohort study. Lancet Oncol, 15: 223, 2014
2.         Constantinides, C. A., Tyritzis, S. I., Skolarikos, A. et al.: Short- and long-term complications of open radical prostatectomy according to the Clavien classification system. BJU Int, 103: 336, 2009
3.         Agarwal, P. K., Sammon, J., Bhandari, A. et al.: Safety profile of robot-assisted radical prostatectomy: a standardized report of complications in 3317 patients. Eur Urol, 59: 684, 2011
4.         Novara, G., Ficarra, V., Rosen, R. C. et al.: Systematic review and meta-analysis of perioperative outcomes and complications after robot-assisted radical prostatectomy. Eur Urol, 62:431, 2012
5.         Potosky, A. L., Davis, W. W., Hoffman, R. M. et al.: Five-year outcomes after prostatectomy or radiotherapy for prostate cancer: the prostate cancer outcomes study. J Natl Cancer Inst, 96: 1358, 2004

Tel: + 55 (21) 3183-7395

Quer Ajuda? Fale aqui